*Sejam*Bem-Vindos* A Morada Suprema do Amor a Deus *

Abril 28 2014

 

"Ofereço minhas reverências a Sri Krishna Chaitanya, a encarnação mais misericordiosa de Deus, que está dando livremente o maior presente do amor a Deus, e está brilhando como o esplendor de ouro "

publicado por Lalanesha Dasa às 21:43

Abril 24 2014

Fica evidente que a Suprema Personalidade de Deus, embora apareça como um ser humano, não é um homem comum. A Personalidade de Deus, que conduz a criação, manutenção e aniquilação da manifestação cósmica completa, não poderia enquadrar-Se na categoria de ser humano. Todavia, há muitos tolos que consideram Krishna meramente um homem poderoso e nada mais. Na verdade, Ele é a Suprema Personalidade original.

Ele é o Senhor Supremo.

Na administração corriqueira dos afazeres do mundo material, encontramos um funcionário ou encarregado, e acima dele há um secretário, e acima dele um ministro, e acima dele um presidente. Cada um deles é controlador, mas um é controlado pelo outro. Em toda a escritura Sagrada do conhecimento Espiritual, afirma-se que Krishna é o controlador supremo; sem dúvida, há muitos controladores, tanto no mundo material quanto no mundo espiritual, mas Krishna é o controlador supremo,  e Seu corpo é Absoluto, bem-aventurado, eterno e pleno de conhecimento sem ter algum vestígio material.

Corpos materiais não podem executar os atos maravilhosos como descritos em toda as Escrituras Sagradas. O corpo dEle é eterno, bem-aventurado e pleno em conhecimento. Ele não é um homem comum, embora os tolos zombem dEle, e considerem-nO como tal.  De muitas maneiras, Ele está agindo exatamente como um homem comum, mas na verdade Seu corpo é a _bem-aventurança eterna e conhecimento absoluto. Os textos védicos também confirmam isto com seguinte oração: “Ofereço minhas reverências à Suprema Personalidade de Deus, Krishna, que é a eterna e bem-aventurada forma plena de conhecimento”. Na linguagem védica, também há outras descrições: “Você é Govinda, o prazer dos sentidos e das vacas”. “E Sua forma é transcendental, plena em conhecimento, bem-aventurança e eternidade”. 

Apesar das qualidades transcendentais do corpo do Senhor Krishna, tais como bem-aventurança e conhecimento plenos, há muitos pretensos estudiosos e comentadores do Bhagavad-Gita que querem fazer de Krishna um homem comum, mesmo entre aqueles mais avançados Espiritualmente, denominam-No com siglas de Krishna Ocidental ou Krishna Oriental, como se o próprio Senhor fosse uma particularidade individual de Sua manifestação. Talvez esse avançado e estudioso, tenha nascido como um ser extraordinário devido a suas boas acções anteriores, mas tal concepção acerca de  Krishna deve-se a um pobre fundo de conhecimento, pois adquirir conhecimento Espiritual, não se limita em ter um status de gradualidade acadêmica. Por isso essa pessoa é chamada de tolapois só os tolos consideram Krishna um ser humano comum. Para os tolos Krishna é um ser humano comum porque eles não conhecem as actividades confidenciais do Senhor Supremo nem Suas diferentes energias. Eles não sabem que o corpo de Krishna é um símbolo de conhecimento e bem-aventurança completos, que Ele é o proprietário de tudo o que existe e que pode conceder liberação a qualquer pessoa, sem a necessidade de o complementar com alguma sigla oriental ou mesmo ocidental. Eles zombam de Krishna intitulando-O por não conhecerem Suas inúmeras qualificações transcendentais.

Tampouco sabem que o aparecimento da Suprema Personalidade de Deus neste mundo material é uma manifestação de Sua energia interna. Krishna é o senhor de toda a energia material.  Ele declara que a energia material, embora muito poderosa, está sob Seu controle, e quem se rende a Ele pode escapar ao controle desta energia material. Se uma alma rendida a Krishna pode escapar à influência da energia material, então, como é possível que o Senhor Supremo, que conduz a criação, manutenção e aniquilação de toda a natureza cósmica, tenha um corpo material como o nosso? Logo, esta concepção acerca de Krishna é tolice completa. Entretanto, esses tolos não conseguem conceber que Krishna, a Personalidade de Deus, mesmo aparecendo como um homem comum, possa ser o controlador de todos os átomos e dessa gigantesca manifestação, a forma universal. O maior e o mais diminuto estão além do que conseguem conceber, por isso, eles não podem imaginar que alguém na forma humana possa controlar ao mesmo tempo o infinito e o diminuto. Na verdade, embora controle o infinito e o finito, Ele está à parte de toda esta manifestação. Em relação ao Seu  inconcebível poder místico, ou Sua inconcebível energia transcendental, afirma-se claramente que Ele pode controlar ao mesmo tempo o infinito e o finito. o Oriente ou o Ocidente e que pode permanecer à parte deles. Embora os tolos não possam imaginar como Krishna, que aparece como um ser humano, possa controlar o infinito e o finito, o Oriente e o Ocidente simultaneamente, aqueles que são devotos puros aceitam isto, pois sabem que Krishna é a Suprema Personalidade de Deus. Por isso, eles Lhe oferecem rendição completa sem ter que intitula-Lo com alguma sigla, e ocupam-se em plena consciência de Krishna, ou serviço devocional ao Senhor.

O aparecimento do Senhor como ser humano gera muitas controvérsias entre os impersonalistas e os personalistas. Mas se consultarmos o Bhagavad-Gita e o Shrimad-Bhagavatam, os textos através dos quais se pode compreender autorizadamente a ciência de Krishna, então conseguiremos saber que Krishna é a Suprema Personalidade de Deus. Ele não é um homem comum, embora tivesse aparecido nesta Terra como um ser humano comum. Em referencia a isso, numa das grande assembleias Espirituais ao perguntarem sobre as actividades de Krishna, os sábios, encabeçados por Shaunaka, disseram:

“O Senhor Shri Krishna, a Suprema Personalidade de Deus, juntamente com Shri Balarama, agiram como seres humanos, e com esse disfarce, executaram muitos atos sobre-humanos.” 

O aparecimento do Senhor como homem confunde os tolos. Nenhum ser humano poderia realizar os atos maravilhosos que Krishna executou enquanto esteve presente nesta Terra. Ao aparecer diante de Seu pai e de Sua mãe, Vasudeva e Devaki, Krishna tinha quatro braços, mas após as orações dos dois, Ele Se transformou numa criança comum.  Ele Se tornou exatamente como uma criança comum, um ser humano comum. Também aqui se assinala que o aparecimento do Senhor como um ser humano comum é um dos aspectos de Seu corpo transcendental. No Décimo Primeiro Capítulo do Bhagavad-Gita também se declara que Arjuna orou para que Krishna lhe mostrasse Sua forma de quatro braços. Após Krishna revelar esta forma a Arjuna, este pediu a Krishna que reassumisse Sua forma humana com aparência original. Estas diferentes características do Senhor Supremo com certeza não existem no ser humano comum. 

Alguns daqueles que zombam de Krishna e que estão influenciados pela filosofia impersonalista, citam o seguinte verso do Shrimad-Bhagavatam (3.29.21) para provar que Krishna é apenas um homem comum. “O Supremo está presente em toda entidade viva”. Porem para analizarmos mais atentamente este verso específico, seria melhor que recorrêssemos aos Acharyas ou mestres Espirituais vaishṇavas, tais como Jiva Goswami e Vishvanatha Cakravarti Thakura, em vez de aceitarmos a interpretação feita por pessoas desautorizadas que zombam de Krishna intitulando-O com alguma momentânea sigla Ocidental. Jiva Goswami, comentando este verso, diz que Krishna, em Sua expansão plenária como Alma Suprema , está situado como a Superalma das entidades móveis e imóveis. Portanto, qualquer devoto neófito que apenas presta atenção a forma do Senhor Supremo no templo, e não respeita outras entidades vivas está inutilmente adorando no templo a forma do Senhor. Há três categorias de devotos do Senhor, e o neófito está na plataforma inferior. O devoto neófito dá mais atenção à Deidade no templo do que a outros devotos, por isso, Vishvanatha Cakravartī Thakura adverte que este tipo de mentalidade deve ser corrigido. O devoto deve ter a visão de que, como Krishna está presente no coração de todos como Alma Suprema  cada corpo representa o templo do Senhor Supremo; logo, assim como oferece respeito ao templo do Senhor, ele deve também prestar o devido respeito a todo e cada corpo em que mora o Alma Suprema. Todos devem, portanto, receber o devido respeito e ninguém deve ser negligenciado.

Há também muitos impersonalistas que zombam da adoração prestada no templo. Dizem que, como Deus está em toda a parte, por que deve alguém limitar-se à adoração no templo? Mas se Deus está em toda a parte, acaso Ele não está no templo ou na Deidade? Embora os personalistas e impersonalistas lutem perpetuamente entre si, um devoto em perfeita consciência de Krishna sabe que embora Krishna seja a Suprema Personalidade, Ele é onipenetrante. Embora Sua morada pessoal seja Eterna e Absoluta, onde Ele sempre permanece, através de Suas diferentes manifestações de energia, e através de Sua expansão plenária, Ele é onipresente e Se encontra em todas as partes da criação material e Espiritual.

publicado por Lalanesha Dasa às 18:13

Abril 18 2014

 

Uma conversa extraída dos ensinamentos de Sua Divina Graça Acharya Bhaktivedanta Swami Prabhupada Mestre Espiritual autentico, fundador e introdutor da consciência de Krishna (ISKCON), sobre os valores que se agregam ao cristianismo e de sua valiosa contribuição ao mundo o sacrifício na cruz, a posição de Jesus e sua segunda vinda à Terra, a importância da obediência a seus ensinamentos, a diferença entre um cristão e um devoto de Krishna, predições nas escrituras védicas ligadas a Jesus, e o amor a Deus.

Tamala Krishna: Então, qual é a resposta do senhor (Shrila Prabhupada), para a seguinte questão “Você considera a mensagem de Jesus Cristo como sendo universal?”

Prabhupada: Sim.

Tamala Krishna: Muitas pessoas encontram em nossos templos de Krishna, a solução para os seus dilemas, por não estarem satisfeitos com a fé cristã, encontrando uma grande soma de satisfação agora vivendo em nossos templos de Krishna.

Prabhupada: Antes de tudo, torne-se cristão, que você está seguindo todos os dez mandamentos. “Não julgar para não ser julgado”.

Tamala Krishna: A segunda questão é: “Considerando que a Bíblia descreve Jesus como o salvador do povo de Deus, não apenas de Israel, mas de todos os pecados do homem, não minimiza sua verdadeira posição dizer que ele é simplesmente um avatara, e isso não contradiz os ensinamentos da Bíblia?”.

Prabhupada: Nós o aceitamos como avatara, shaktyavesha-avatara, encarnação de Deus dotada de poder. Isso nós aceitamos.

Tamala Krishna: “Assim como qualquer outra escritura revelada, os ensinamentos da Bíblia são absolutos, mas eles devem ser compreendidos literal ou simbolicamente, e eles são aplicáveis a todos os homens?”.

Prabhupada: Literalmente, não simbolicamente.

Tamala Krishna: “Qual é o verdadeiro significado do sacrifício na cruz, Jesus morrendo na cruz?”.

Prabhupada: Isso não tem significado algum. As pessoas eram tão tolas que buscaram matá-lo. Porque ele estava falando de Deus. Assim podemos compreender a poluição da sociedade da época, quão inteligentes eles eram. Ele teve que lidar com tolos formidáveis porque ele estava falando sobre Deus, e o resultado é que eles quiseram matá-lo primeiro. Ele pregou: “Não matarás”, e eles o mataram primeiro. Essa é a inteligência deles.

Tamala Krishna: “Jesus morreu na cruz para remir todos os pecados do mundo?”.

Prabhupada: Este é outro pensamento pecaminoso: Jesus assinou contrato para livra-los das suas atividades pecaminosas. Isso é um grande pretexto para os pecadores continuarem agindo pecaminosamente, e Cristo assinará um contrato para neutralizar. Essa é a convicção mais pecaminosa. Em vez de pararem com as atividades pecaminosas, assinamos contrato com Jesus Cristo para neutralizá-las.

Tamala Krishna: Então essas pessoas não estão de fato se livrando de seus pecados a não ser que parem de pecar.

Prabhupada: Se não for assim, qual é a utilidade da pregação dele? Eles continuarão com as atividades pecaminosas, e Jesus Cristo assinará contrato para salvá-los. É um grande contrassenso essa ideia! “A nossa religião é muito boa”. Como é? “Não podemos parar de agir pecaminosamente, e Cristo assinou contrato. Ele nos salvará”.

Namno balad papa-buddhih. Essa é uma das ofensas ao santo nome. “Estou cantando Hare Krishna, então nenhuma ação pecaminosa existirá”. “Continuarei com minhas atividades pecaminosas e me tornarei cristão” é como “Eu me tornarei vaishnava, me tornarei meramente por ser um recitador do santo nome”.

Tamala Krishna: A Bíblia tem muitas citações. Lerei, então, apenas duas delas…

Prabhupada: Qual é a utilidade de me fornecer citações da Bíblia? Estamos falando sobre coisas práticas.

Tamala Krishna: Sim. O único ponto que eu ia levantar era que é evidente que eles estão interpretando equivocadamente a Bíblia. Uma das citações, por exemplo, diz: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o Seu filho unigênito para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”. (João 3:16) Mas o senhor chamou atenção para o ponto de que acreditar significa seguir seus ensinamentos. Isso eles não entendem. Eles dizem: “Nós acreditamos em Jesus”, mas eles não seguem seus ensinamentos.

Prabhupada: Onde, então, está a crença? Onde está a questão de crença? A não ser que sigam os ensinamentos, não há questão de crença. Trata-se de um princípio falso.

Tamala Krishna: Sim. A próxima questão é: “A essência do cristianismo é acreditar que Cristo é o nosso salvador e redentor, mas o teste final da própria fé em Cristo encontra-se na crença pessoal de que ele voltará do céu para a Terra para estabelecer suas glórias e seu reino de justiça eterna. Esse segundo advento deve ser aceito como simbólico, ou ele de fato voltará?”.

Prabhupada: O que você quer dizer com isso?

Tamala Krishna: “Então aparecerá no céu o sinal do filho do homem; e todas as tribos da terra se lamentarão, e verão o filho do homem, vindo sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória”. (Mateus, 24:30). Há muitíssimas declarações na Bíblia aludindo que Cristo virá novamente.

Prabhupada: O que há de mal se ele vier novamente?

Tamala Krishna: É praticamente toda a base da fé cristã eles estarem esperando o dia quando Cristo virá.

Prabhupada: Por enquanto, sigam o que ele disse. Do contrário, qual é a utilidade de esperar por ele?

Tamala Krishna: Sim, se você não segue o que ele disse, então, mesmo que ele venha, ele não pegará você. Ele diz que, se isso acontece, se Cristo volta, qual será a posição de Sri Caitanya Mahaprabhu e de Seu movimento da consciência de Krishna? Uma pergunta torpe.

Prabhupada: Isso você verá quando ele vier.

Tamala Krishna: (risos) Isso veremos quando ele vier. Certo. Por enquanto, o movimento da consciência de Krishna está aqui. Próxima pergunta: “O que é o fim do mundo?”.

Prabhupada: O mundo será devastado, como acontece com tudo o que é material. Seu corpo existe e está sendo mantido, e ele será findado. Similarmente, o corpo do mundo inteiro será findado da mesma maneira. Não há outra maneira. Ele é criado, é mantido e é findado. 

Tamala Krishna:“Em sua introdução ao Bhagavad-gita, o senhor se refere ao hinduísmo, ao budismo, ao cristianismo e a outras fés religiosas como designações sectárias, mas a consciência de Krishna não seria apenas mais um tipo de designação a fim de não a chamar de krishnaísmo, outro “ismo”?.

Prabhupada: Não. Isso você terá que entender mais para frente.

Tamala Krishna: “Qual é a diferença entre um cristão puro – ou, ao menos, um sincero – e um devoto sincero de Krishna?”.

Prabhupada: Nenhuma diferença.

Tamala Krishna: Em uma passagem do Bhavisya Maha-Purana, escrito por Vyasadeva três mil anos antes de Cristo, prevendo a presença de Jesus Cristo nos Himalaias em 78 da era cristã, e seu encontro com um rei. Existem outras profecias no Bhavisya Maha-Purana ou em outras escrituras dizendo mais precisamente o dia do nascimento de Jesus Cristo?

Prabhupada: Tudo ali é exato.

Tamala Krishna:Uma ultima pergunta importante.: “Seguindo praticamente Jesus Cristo, é possível a um sincero buscador da verdade que não reconhece ou aceita as manifestações externas do movimento da consciência de Krishna obter amor por Deus?”.

Prabhupada: Amor por Deus significa misericórdia de Deus. Se Deus está satisfeito, Ele pode fazer qualquer coisa. Assim, esse prazer de Deus pode ser desperto por amor. Isso se chama em sânscrito kripa-siddhi. Perfeição movida por afeição. Por misericórdia.

Tamala Krishna:Gostaria de saber se é possível obter essa afeição de amor por Deus sem fazer parte deste movimento da consciência de Krishna.

Prabhupada: Em geral, não, pois a pessoa deve seguir os princípios reguladores e parar com as atividades pecaminosas. Então depende da misericórdia de Krishna. Você não pode obrigá-lO a lhe dar misericórdia. Isso não é possível. Misericórdia é misericórdia. Você tem que fazer o seu dever, e a misericórdia depende dEle.
publicado por Lalanesha Dasa às 16:20

Abril 18 2014

 

Pelo processo da própria natureza, o sistema completo das actividades materiais é uma fonte de perplexidade para todos. A cada passo há perplexidade, e portanto convém que a pessoa se aproxime de um mestre espiritual genuíno que possa dar-lhe orientação apropriada para alcançar o propósito da vida. Todos os textos védicos nos aconselham a nos aproximarmos de um mestre espiritual autêntico para nos libertarmos das perplexidades existentes na vida, que surgem contra nossa vontade. São como um incêndio na floresta que de alguma maneira começa a queimar sem ter sido ateado por ninguém. De modo semelhante, a situação do mundo é tal que as perplexidades da vida aparecem automaticamente, sem que queiramos tal confusão. Ninguém quer o incêndio, mas ele ocorre, e ficamos perplexos. 

E quem é a pessoa imersa em perplexidades materiais? É aquele que não entende os problemas da vida. A pessoa  perplexa recebe a seguinte descrição: “Avaro é aquele que, estando na plataforma humana, não resolve os problemas da vida e então deixa este mundo como os cães e gatos, sem compreender a ciência da auto-realização.” Esta forma de vida humana é uma dádiva muito valiosa para a entidade viva que pode utilizá-la para resolver os problemas da vida; portanto, quem não faz o devido uso desta oportunidade é avarento. Por outro lado, há aquela pessoa  que é assaz inteligente em utilizar este corpo para resolver todos os problemas da vida. 

As pessoas avaras, vivendo sua concepção material, perdem seu tempo com excessiva afeição pela família, sociedade, país, etc. Devido à “doença da pele” é frequente apegar-se à vida familiar, ou seja, à esposa, filhos e outros membros. As pessoas avaras, pensa que é capaz de proteger da morte os membros da sua família; ou ele pensa que sua família ou a sociedade em que vive podem salvá-lo das garras da morte. Tal apego familiar pode ser encontrado mesmo em animais inferiores, que também cuidam dos filhos. Uma pessoa inteligente pode compreender que sua afeição pelos membros de sua família e seu desejo de protegê-las da morte tornam-se as causas de sua perplexidade de sua fraqueza. Por isso, ela deve orar ao Senhor Krishna, o mestre Espiritual Supremo, que lhe dê uma solução definitiva para tal perplexidade ou fraqueza. Deve-se apresentar diante de Seu Mestre Espiritual como um discípulo sincero e manter com Ele conversas amigáveis. Pois os diálogos entre mestre e discípulo são sérios.  Krishna é portanto o Mestre Espiritual Original que transmiti a ciência do Bhagavad-Gita, a todos que querem compreender esta ciência imemorável.

publicado por Lalanesha Dasa às 12:36

Abril 17 2014

 

A mente é tão forte e obstinada que, às vezes, supera a inteligência, embora o que se espera é que a mente seja subserviente à inteligência. Para um homem que vive o cotidiano e que tem de combater tantos elementos opositores, decerto é muito difícil controlar a mente. Valendo-se de artifícios, talvez a pessoa estabeleça mentalmente uma relação equilibrada com amigos e inimigos, mas em última análise homem nenhum no mundo pode agir assim, pois isto é mais difícil do que controlar o vento tempestuoso. 

 Supõe-se que a inteligência dirija a mente, mas a mente é tão forte e obstinada que muitas vezes domina até mesmo a própria inteligência da pessoa, assim como uma infecção aguda pode superar a eficácia do remédio. Presume-se que tal mente forte seja controlada pela prática de yoga, mas tal prática nunca é viável para uma pessoa que tem de enfrentar o mundo.

Com a ajuda de sua mente, a pessoa deve liberar-se, e não degradar-se. A mente é a amiga da alma condicionada, e é também a sua inimiga.

 No sistema de yoga, a mente e a alma condicionada têm uma importância especial. O propósito do sistema de yoga é controlar a mente e afastá-la do apego aos objectos dos sentidos. Enfatiza-se que a mente deve ser treinada de tal maneira que possa livrar a alma condicionada do lodaçal da ignorância. Na existência material, a pessoa sujeita-se à influência da mente e dos sentidos. De fato, a alma pura está enredada no mundo material porque a mente envolve-se com o falso ego, que deseja assenhorear-se da natureza material. Portanto, a mente deve ser treinada para que não se deixe atrair pelo brilho da natureza material, e aí então a alma condicionada conseguirá salvar-se. Não se deve cair vítima da atracção aos objectos dos sentidos. Quanto mais alguém se deixa atrair pelos objectos dos sentidos, mais se enreda na existência material. A melhor maneira de se desvencilhar é sempre ocupar a mente no cantar do Maha Mantra Hare Krishna Hare Krishna Krishna Krishna Hare Hare Hare Rama Hare Rama Rama Rama Hare Hare ...

“Para o ser humano, a mente é a causa do cativeiro e a mente é a causa da liberação. A mente absorta nos objectos dos sentidos é a causa do cativeiro, e a mente desapegada dos objectos dos sentidos é a causa da liberação.” 

A finalidade de praticar a yoga óctupla é controlar a mente a fim de fazer dela uma aliada no cumprimento da missão humana. Se a mente não for controlada, a prática de yoga (para exibição) é mera perda de tempo. Quem não pode controlar a mente vive sempre com o maior inimigo, e assim arruína sua vida e a sua missão na vida . A posição constitucional do ser vivo é executar ordens superiores. Enquanto sua mente continuar um inimigo imbatível, ele terá de servir aos ditames da luxúria, ira, avareza, ilusão, etc. Mas quando conquista a mente, ele, por sua própria vontade, acata a ordem da Personalidade de Deus, que está situado no coração de todos. A verdadeira prática de yoga consiste em ver a Personalidade de Deus dentro do coração e então seguir Suas ordens. Para quem adota directamente a consciência de Krishna, a rendição perfeita às determinações impostas pelo Senhor é algo que advém com muita naturalidade.

Portanto,  deve-se ocupar a mente por completo em Krishna. Só então não restarão outras ocupações para agitar a mente.

publicado por Lalanesha Dasa às 22:40

Este Album abaixo, esta para download gratuitamente é só clicar no ícone ( Lalanesha in Concert Mantras )