*Sejam*Bem-Vindos* A Morada Suprema do Amor a Deus *

Junho 28 2014

Krishna a Suprema Personalidade de Deus respondeu ao apelo indagativo de Seu amado discípulo com a seguinte resposta: A renúncia ao trabalho e o trabalho com devoção são bons para obter a liberação. No entanto, entre os dois, o trabalho em serviço devocional é melhor do que a renúncia ao trabalho.

As atividades fruitivas (na busca do prazer dos sentidos) produzem cativeiro material. Enquanto se ocupar em actividades que visam a melhorar o padrão de conforto corpóreo, a pessoa com certeza transmigrará a diferentes tipos de corpos, permanecendo, assim, perpetuamente no cativeiro material.

“As pessoas buscam avidamente o gozo dos sentidos, e não sabem que seu corpo actual, que é cheio de misérias, é o resultado de suas actividades fruitivas executadas no passado. Embora seja temporário, este corpo está sempre dando muitos tipos de problema. Portanto, agir em busca de gozo dos sentidos não é bom. É considerado um fracasso na vida aquele que não faz nenhuma indagação sobre sua verdadeira identidade. Enquanto não conhecer sua verdadeira identidade, ele terá que trabalhar para obter resultados fruitivos que lhe possam dar prazer dos sentidos, e enquanto estiver absorto na consciência do gozo dos sentidos, terá que transmigrar de um corpo a outro. Embora a mente possa estar absorta em actividades fruitivas, influenciada pela ignorância, é necessário desenvolver amor pelo serviço devocional a Deus. Só então haverá oportunidade de livrar-se do cativeiro da existência material.”

Portanto, o conhecimento de que não se é este corpo material, mas sim alma Espiritual  não é suficiente para alcançar a liberação. Devemos agir na posição de alma Espiritual, caso contrário, não há como escapar do cativeiro material. A acção em consciência de Krishna não é entretanto uma acção na plataforma fruitiva. As actividades executadas com conhecimento pleno propiciam o progresso rumo ao verdadeiro conhecimento. Sem consciência de Krishna, a mera renúncia às actividades fruitivas não purifica realmente o coração da alma condicionada. Enquanto o coração não estiver purificado, tem-se que trabalhar na plataforma fruitiva. Mas a acção em consciência de Krishna automaticamente ajuda a pessoa a eximir-se do resultado da acção fruitiva e isso a impede de descer à plataforma material. Portanto, a acção em consciência de Krishna é sempre superior à renúncia, pois nesta ainda há o risco de cair. A renúncia sem consciência de Krishna é incompleta.

“Quando pessoas desejosas de alcançar a liberação renunciam às coisas relacionadas à Suprema Personalidade de Deus, considerando-as materiais, sua renúncia é tida como incompleta.” 

Esta forma perfeita de acção em consciência de Krishna é muito melhor do que qualquer quantidade de renúncia artificial empreendida por aqueles que julgam tudo barato.

publicado por Lalanesha Dasa às 19:00

Junho 27 2014

 

 Aqui Krishna menciona as opções de alcançar a meta Suprema da vida entre dois processos diferentes de bhakti-yoga. O primeiro aplica-se a alguém que, por meio do amor transcendental, desenvolveu verdadeiro apego a Krishna, a Suprema Personalidade de Deus. E o outro é para alguém que não desenvolveu apego à Pessoa Suprema por meio do amor transcendental. Para esta segunda classe, há diferentes regras e regulações prescritas que uma pessoa que quer se tornar um devoto imaculado, pode então seguir e atingir a posição em que se tem apego a Krishna.

Bhakti-yoga é a purificação dos sentidos. Actualmente, na existência material, os sentidos estão sempre impuros, pois estão ocupados no gozo dos sentidos. Porém, pela prática da bhakti-yoga, estes sentidos podem purificar-se, e no estado purificado, eles podem entrar em contacto directo com o Senhor Supremo. Nesta existência material, talvez eu me ocupe no serviço a um patrão, mas não o sirva com verdadeiro amor. Eu o sirvo apenas para conseguir algum dinheiro. E tampouco o patrão tem algum amor, ele recebe meu serviço e me paga. Logo, o amor está fora de cogitação. Mas quanto à vida espiritual, o devoto deve elevar-se ao nível de amor puro. Este nível de amor pode ser conseguido através da prática do serviço devocional, executado com os sentidos actuais.

Este amor a Deus agora está latente no coração de todos, onde se manifesta de diferentes maneiras, porém, contaminado pela associação material. Por isso, o coração tem que purificar-se da associação material, e o amor natural por Krishna, que está latente, tem que ser revivido. Este é todo o processo onde se atinge o elevado conceito Espiritual de amor a Deus ou Krishna.

Para praticar os princípios reguladores que fazem parte da bhakti-yoga, uma pessoa ou o devoto deve, sob a orientação de um mestre Espiritual experiente, seguir certas regras que o conduziram a esse conceito de amor a Deus.

Se, mesmo sob a orientação de um mestre Espiritual, alguém não é capaz de praticar os princípios reguladores existentes na bhakti-yoga, ele ainda assim pode ser conduzido a esta fase de perfeição, trabalhando para o Senhor Supremo. E o que significa trabalhar para o Senhor Supremo? Significa que nenhuma pessoa deve trabalhar em nada que não esteja relacionado com Krishna, através de boas acções, da mente das palavras e obras.

E mesmo assim se, entretanto, alguém não for capaz de trabalhar nesta consciência, então, deve-se agir renunciando a todos os resultados de trabalho e procurar situar-se no eu.

Pode ser que, devido a factores sociais, familiares ou religiosos ou mesmo por outros impedimentos, a pessoa nem seja capaz de simpatizar com as actividades da consciência de Krishna. E se alguém se interessa directamente pelas actividades da consciência de Krishna, talvez surjam objecções dos membros de sua família, ou muitas outras dificuldades. Para quem tem semelhante problema, aconselha-se que sacrifique em prol de alguma boa causa aquilo que conseguiu adquirir com suas actividades. Tais procedimentos são descritos nas regras védicas. Descrevem-se vários sacrifícios e cerimónias especiais para o dia da lua cheiaou trabalhos especiais em que se pode aplicar o resultado da acção praticada anteriormente. Assim, aos poucos pode-se adquirir conhecimento. Também consta que, quando alguém que nem sequer está interessado nas actividades da consciência de Krishna, mas dá caridade a algum hospital ou a alguma outra instituição social, ele renuncia aos resultados que arduamente conseguiu através de suas actividades. Isto também se recomenda aqui porque, praticando renúncia aos frutos de suas actividades, ele com certeza purificará sua mente de maneira gradual, e com a mente purificada, será capaz de compreender a consciência de Krishna. É claro que a consciência de Krishna não depende de nenhum outro factor, porque a própria consciência de Krishna pode purificar a mente, mas se há impedimentos para aceitar a consciência de Krishna, pode-se tentar abandonar os resultados das acções. A este respeito, serviço social, serviço comunitário, serviço à nação, sacrifício pela pátria, etc., podem ser aceitos de modo que algum dia seja possível chegar ao nível de serviço devocional puro ao Senhor Supremo.

No Bhagavad-Gita o Senhor declara, que se alguém decide sacrificar-se pela causa Suprema, mesmo que não saiba que a causa Suprema é Krishna, através do método sacrificatório, ele aos poucos passará a compreender que Krishna é a causa Suprema.

E através dessas inumeras opções de se alcançar a meta Suprema, 

alguém não pode adoptar esta prática, então, que se ocupe no cultivo de conhecimento. Entretanto, melhor do que o conhecimento é a meditação, e melhor do que a meditação é a renúncia aos frutos da acção, pois, com esta renúncia, pode-se alcançar Paz de Espírito.
Como foi mencionado até aqui, há duas espécies de serviço devocional: o caminho dos princípios reguladores e o caminho de pleno apego amoroso à Suprema Personalidade de Deus. Para quem não é deveras capaz de seguir os princípios da consciência de Krishna, é melhor cultivar conhecimento, porque, pelo conhecimento, ele pode chegar a compreender sua verdadeira posição. Aos poucos, o conhecimento propiciará a prática da meditação. Pela meditação, ele pode ser capaz de compreender a Suprema Personalidade de Deus através de um processo gradual. Há processos pelos quais o transcendentalista é levado a entender que ele mesmo é o Supremo, e esta espécie de meditação é preferida se ele é incapaz de ocupar-se em serviço devocional. Se alguém não é capaz de praticar essa meditação, então, como consta na literatura védica, há deveres prescritos para os vários métodos a serem aplicados aos seres humanos. Mas em todos os casos, deve-se abandonar o resultado ou frutos do trabalho; isto é o mesmo que empregar o resultado do karma numa boa causa. 
Em resumo, há dois processos para alcançar a meta mais elevada, que é a Suprema Personalidade de Deus: um processo é através do desenvolvimento gradual, e o outro é directo. O serviço devocional em consciência de Krishna é o método directo, e o outro método envolve a renúncia aos frutos das próprias actividades. Daí, então, pode-se chegar ao conhecimento, depois, à meditação, à compreensão da Superalma, e então, atingir a Suprema Personalidade de Deus. Pode-se adoptar o processo gradativo ou o caminho directo. O processo directo não é possível para todos; por isso, o processo indirecto também é bom. No entanto, deve-se entender que o processo indirecto não é recomendado para alguém que já esteja no nível de serviço devocional amoroso ao Senhor Supremo. Este processo é para os que não estão neste nível, eles devem seguir gradualmente o processo de renúncia, conhecimento, meditação e compreensão acerca da Superalma e do Espírito Supremo. Porem no Bhagavad-Gita, enfatiza-se o método directo. Todos são aconselhados a adoptar o método directo e render- se à Suprema Personalidade de Deus, Krishna.
publicado por Lalanesha Dasa às 14:05

Junho 21 2014

 

Há várias teorias sobre a consciência. O Bhagavad-Gita, dá o exemplo do Sol e do brilho do sol. Assim como o Sol está situado num único lugar mas ilumina o Universo inteiro, do mesmo modo, uma pequena partícula de alma Espiritual, embora situada no coração deste corpo, ilumina todo o corpo através da consciência. Logo, a consciência é uma prova da presença da alma, assim como o brilho do sol ou a luz é a prova da presença do Sol. Quando a alma está presente no corpo, há consciência por todo o corpo, e logo que a alma abandona o corpo, deixa de haver consciência. Qualquer homem inteligente pode entender isto com facilidade. Portanto, a consciência não é um produto das combinações da matéria. É uma característica da entidade viva. A consciência da entidade viva, embora qualitativamente igual à consciência suprema, não é suprema, porque a consciência de um determinado corpo não age noutro corpo. Mas a Superalma, que está situado em todos os corpos como o amigo da alma individual, é consciente de todos os corpos. Esta é a diferença entre a consciência suprema e a consciência individual.

Portanto, aqueles que com os olhos do conhecimento vêem a diferença entre o corpo e o conhecedor do corpo, e podem também compreender o processo que consiste em libertar-se do cativeiro da natureza material, alcançam a meta Suprema.

A pessoa fiel que quer ouvir sobre Deus deve primeiro procurar uma boa associação e assim aos poucos se iluminar. Se alguém aceita um mestre Espiritual, pode aprender a distinguir entre matéria e espírito, e isto se torna o ponto de partida para uma melhor compreensão espiritual. O mestre Espiritual, através de várias instruções, ensina seus alunos a livrarem-se do conceito de vida material. Por exemplo, no Bhagavad-Gita verifica-se que Krishna instrui Arjuna para libertá-lo dos ideais materialistas. 

publicado por Lalanesha Dasa às 20:44

Junho 21 2014

publicado por Lalanesha Dasa às 01:09

Junho 17 2014

Assim como um barco na água é arrastado por um vento forte, até mesmo um só dos sentidos errantes em que a mente se concentre pode arrebatar a inteligência do homem.

A não ser que todos os sentidos ocupem-se no serviço do Senhor, mesmo um só deles ocupado no prazer dos sentidos pode desviar o devoto do caminho do avanço transcendental. Podem-se refrear as forças do desfrute dos sentidos somente por meio da consciência de Krishna, ou ocupando todos os sentidos no serviço transcendental amoroso ao Senhor. Quem entendeu isto — que só pela consciência de Krishna a pessoa se estabelece de fato em inteligência e que se deve praticar esta arte sob a orientação de um mestre espiritual genuíno é considerado um forte candidato à liberação.

Como Krishna mesmo menciona dizendo:

O que é noite para todos os seres é a hora de despertar para o autocontrolado; e a hora de despertar para todos os seres é noite para o sábio introspectivo.

Há duas classes de homens inteligentes. Uma é inteligente em atividades materiais que visam o prazer dos sentidos, e a outra é introspectiva e voltada para o cultivo da auto-realização. As atividades do sábio introspectivo, ou do homem inquisitivo, são noite para quem está absorto na vida material. Os materialistas ficam dormindo em tal noite devido à ignorância da auto-realização. O sábio introspectivo fica alerta na “noite” dos homens materialistas. O sábio sente prazer transcendental em progredir gradualmente na cultura espiritual, ao passo que o homem imerso em atividades materialistas, estando adormecido para a auto-realização, sonha com muitas variedades de prazeres dos sentidos, ficando ora feliz ora infeliz em sua condição onírica. O homem introspectivo está sempre indiferente à felicidade e à aflição materiais. Ele prossegue com suas atividades de auto-realização, sem se deixar perturbar com as reações materiais.

publicado por Lalanesha Dasa às 16:14

Intercâmbios
Este Album abaixo, esta para download gratuitamente é só clicar no ícone ( Lalanesha in Concert Mantras )