*Sejam*Bem-Vindos* A Morada Suprema do Amor a Deus *

Dezembro 29 2015

image.jpeg

image.jpeg

 A verdadeira posição constitucional do ser vivo é uma de subordinação ao Senhor Supremo, que é conhecimento puro. Ao deixar-se iludir, afastando-se deste conhecimento puro, ele ficará sob o controle da energia ilusória e não poderá compreender a Suprema Personalidade de Deus. A energia ilusória manifesta-se na dualidade produzida pelo desejo e pelo ódio. Devido ao desejo e ao ódio, o ignorante quer tornar-se uno com o Senhor Supremo e inveja de Krishna como a Suprema Personalidade de Deus. Os devotos puros, que não estão iludidos nem contaminados por desejo e ódio, podem compreender que o Senhor Krishna aparece por meio de Suas potências internas, porém aqueles que estão iludidos pela dualidade e ignorância, pensam que a Suprema Personalidade de Deus é um produto das energias materiais. Mas isto é um infortúnio para eles. Iludidas, essas pessoas manifestam suas dualidades sob a forma de desonra e honra, miséria e felicidade, mulher e homem, bom e mau, prazer e dor, etc., pensando: “Esta é minha esposa; esta é minha casa; eu sou o dono desta casa; eu sou o marido desta mulher”. Estas são as dualidades decorrentes da ilusão. Aqueles que caem vítima dessa ilusão e vivem num mundo de dualidades são verdadeiros tolos e por isso não podem compreender e tampouco satisfazer o puro Supremo a Suprema Personalidade de Deus.

Bhakti-yoga é a purificação dos sentidos, e só através dessa purificação se pode satisfazer a Suprema Personalidade de Deus Krishna. Existem dois processos diferentes de bhakti-yoga. O primeiro aplica-se a alguém que, por meio do amor transcendental, desenvolveu verdadeiro apego a Krishna, a Suprema Personalidade de Deus. E o outro é para alguém que não desenvolveu apego à Pessoa Suprema por meio do amor transcendental. Para esta segunda classe, há diferentes regras e regulações prescritas que o devoto pode seguir para enfim atingir a posição em que se tem apego a Krishna. Atualmente, na existência material, os sentidos estão sempre impuros, pois estão ocupados no gozo dos sentidos. Porém, pela prática da bhakti-yoga, estes sentidos podem purificar-se, e no estado purificado, eles podem entrar em contato direto com o Senhor Supremo. Nesta existência material, talvez eu me ocupe no serviço a um patrão, mas não o sirva com verdadeiro amor. Eu o sirvo apenas para conseguir algum dinheiro. E tampouco o patrão tem algum amor, ele recebe meu serviço e me paga. Logo, o amor está fora de cogitação. Mas quanto à vida Espiritual, o devoto deve elevar-se ao nível de amor puro. Este nível de amor pode ser conseguido através da prática do serviço devocional, executado com os sentidos atuais.

Este amor a Deus agora está latente no coração de todos, onde se manifesta de diferentes maneiras, porém, contaminado pela associação material. Por isso, o coração tem que purificar-se da associação material, e o amor natural por Krishna, que está latente, tem que ser revivido. Este é todo o processo.

Para praticar os princípios reguladores que fazem parte da bhakti-yoga, o devoto deve, sob a orientação de um mestre Espiritual experiente, seguir certas regras: ele deve levantar-se de manhã bem cedo, tomar banho, entrar no templo, oferecer orações e cantar " Hare Krishna Hare Krishna Krishna Krishna Hare Hare, Hare Rama Hare Rama Rama Rama Hare Hare", depois colher flores para oferecer à Deidade, cozinhar alimentos para oferecer à Deidade, tomar prasādam ( alimento purificado ) e assim por diante. Há várias regras e regulações que ele deve seguir. E deve ouvir constantemente o Bhagavad-Gitā entre outros livros do mesmo sentido Espiritual sendo falados por devotos puros. Esta prática pode ajudar qualquer um a elevar-se ao nível de amor a Deus, e assim assegurá-lo de que está progredindo rumo ao reino Espiritual de Deus. Esta prática de bhakti-yoga, sob regras e regulações, e com a direção de um mestre Espiritual, certamente o levará ao nível de amor a Deus.

image.png 

image.jpeg 

image.jpeg

publicado por Lalanesha Dasa às 18:58

Dezembro 28 2015

image.jpeg 

image.jpeg

Krishna a Suprema Personalidade de Deus diz No Bhagavad-Gita como Ele É capitulo 14 verso 6, que o modo da bondade, sendo mais puro do que os outros, ilumina, livrando a pessoa de todas as reações pecaminosas. Aqueles que estão situados neste modo condicionam-se a uma sensação de felicidade e conhecimento.

Porque é transcendental, a entidade viva nada tem a ver com esta natureza material. Mesmo assim, por se condicionar ao mundo material, ela age sob o encanto dos três modos da natureza material. Porque as entidades vivas têm diferentes espécies de corpos proporcionados pelos diferentes aspectos da natureza, elas são induzidas a agir de acordo com esta natureza. Esta é a causa das muitas variedades de felicidade e sofrimento.

As entidades vivas condicionadas à natureza material são de várias categorias. Alguém pode ser feliz, outrem, muito ativo, mas há outro que se sente desamparado. Todos estes tipos de manifestações psicológicas são a causa da posição condicionada das entidades na natureza. No mundo material, quem desenvolve o modo da bondade acaba se tornando mais sábio do que aqueles condicionados a outras circunstâncias. Um homem no modo da bondade não é tão afetado pelas misérias materiais, e ele sente o avanço em conhecimento material. A figura representativa é o monge ou sacerdote brāhmana, que se supõe estar situado no modo da bondade. Esta sensação de felicidade deve-se à compreensão de que, no modo da bondade, a pessoa está mais ou menos livre de reações pecaminosas. Na verdade, na literatura védica se diz que o modo da bondade significa maior conhecimento e uma maior sensação de felicidade.

O problema é que, quando se situa no modo da bondade, o ser vivo fica induzido a sentir que é avançado em conhecimento e que é melhor do que os outros. Dessa maneira, ele se condiciona. Os melhores exemplos são o cientista e o filósofo. Cada qual tem muito orgulho de seu conhecimento, e porque em geral melhoram suas condições de vida, eles sentem uma espécie de felicidade material. Na vida condicionada, esta sensação de felicidade superior deixa-os atados ao modo da bondade da natureza material. Nesse caso, eles ficam atraídos a trabalhar no modo da bondade, e, enquanto sentem atração para essa espécie de trabalho, eles devem aceitar algum dos corpos oferecidos pelos modos da natureza. Assim, não há possibilidade de liberação, ou de sua transferência para o mundo Espiritual. Repetidas vezes, a pessoa pode tornar-se um filósofo, um cientista, ou um poeta, e repetidas vezes envolver-se com as mesmas condições desfavoráveis apresentadas sob a forma de nascimentos e mortes. Porém, devido à ilusão que a energia material lhe impõe, o homem pensa que esta espécie de vida é agradável. 

image.png

image.jpeg

 

image.jpeg

publicado por Lalanesha Dasa às 12:40

Dezembro 25 2015

image.jpeg

5527216_NoRly.png

 Krishna diz:

Quando, porém, a pessoa é iluminada com o conhecimento pelo qual a ignorância é destruída, então, seu conhecimento revela tudo, assim como o Sol ilumina tudo durante o dia.

Aqueles que se esqueceram de Krishna com certeza devem estar confusos, mas aqueles que estão em consciência de Krishna não estão nada confusos. O conhecimento é sempre tido em alta estima. E que conhecimento é este? Consegue conhecimento perfeito quem se rende a Krishna. Depois de passar por muitos e muitos nascimentos, quando alguém com conhecimento perfeito se rende a Krishna, ou quando alcança a consciência de Krishna, então, tudo lhe é revelado, assim como, durante o dia, tudo é revelado pelo Sol. O ser vivo se confunde de muitas maneiras. Por exemplo, quando, descaradamente julga ser Deus, ele na verdade cai na última armadilha da ignorância. Se o ser vivo é Deus, então como pode se deixar confundir pela ignorância? Será que Deus Se deixa confundir pela ignorância? Sendo assim, então a ignorância, ou Satã, é maior do que Deus. O verdadeiro conhecimento pode ser obtido de alguém que esteja em perfeita consciência de Krishna. Portanto, é necessário procurar semelhante mestre espiritual genuíno, e, sob sua orientação, aprender o que é a consciência de Krishna, pois a consciência de Krishna na certa afastará toda a ignorância, assim como o Sol afasta a escuridão. Mesmo que alguém talvez tenha pleno conhecimento de que não é este corpo mas sim transcendental ao corpo, ainda assim, talvez ele não consiga discriminar entre a alma e a Superalma. No entanto, ele poderá conhecer tudo muito bem se tiver o cuidado de abrigar-se no mestre espiritual perfeito, realmente consciente de Krishna. A pessoa pode conhecer Deus e sua relação com Deus somente quando ela de fato encontra um representante de Deus. Um representante de Deus jamais afirma ser Deus, embora receba todo o respeito que em geral se presta a Deus porque ele tem conhecimento acerca de Deus. Deve-se aprender a distinção entre Deus e a entidade viva. Portanto o Senhor Krishna afirma dizendo que cada ser vivo é uma entidade individual e que o Senhor também é um indivíduo. Todos eles foram indivíduos no passado, são indivíduos no presente, e continuarão sendo indivíduos no futuro, mesmo após a liberação. De noite na escuridão, vemos tudo como uma coisa só, mas de dia, quando o Sol aparece, vemos tudo em sua verdadeira identidade. Identidade com individualidade na vida Espiritual é conhecimento verdadeiro.

image.png

5489717_0PI30.gif 

image.jpeg

publicado por Lalanesha Dasa às 21:19

Dezembro 03 2015

image.jpeg

Pode ser que se ofereça dinheiro a um devoto, mas este não deve lutar para adquiri-lo. Se, pela graça do Supremo, o dinheiro automaticamente chega até ele, ele não se agita. É certo que o devoto toma banho pelo menos duas vezes ao dia e levanta-se de manhã cedo para executar o serviço devocional. Assim, ele é naturalmente limpo tanto interna quanto externamente. O devoto é um perito porque ele conhece a fundo a essência de todas as atividades da vida e tem plena convicção quanto às escrituras autorizadas. O devoto nunca se compromete com nenhum grupo específico; por isso, ele é despreocupado. Ele nunca se aflige, porque está livre de todas as designações; ele sabe que seu corpo é uma designação, logo, se existem algumas dores físicas, ele não se deixa afetar. O devoto puro não se esforça por nada que vá contra os princípios do serviço devocional. Por exemplo, construir um grande edifício requer muita energia, e o devoto não se entrega a esse empreendimento se isto não o ajuda a avançar em serviço devocional. Mas para construir um templo para o Senhor, ele aceita todos os tipos de ansiedade, embora não se dê ao trabalho de construir uma casa grande, para através dela expandir suas relações pessoais. 

O devoto puro não fica feliz nem insatisfeito com ganho e perda materiais, nem fica muito ansioso por conseguir um filho ou discípulo, nem se aflige porque não os consegue. Se perde algo que lhe é muito querido, ele não se lamenta. Da mesma forma, se não consegue o que deseja, ele não se aflige. Diante de todas as espécies de atividades auspiciosas, inauspiciosas e pecaminosas, ele é transcendental. Ele está disposto a aceitar todas as espécies de riscos para a satisfação do Senhor Supremo. Nada impede o desempenho do seu serviço devocional. Semelhante devoto é muito querido por Krishna.

O devoto sempre está livre de toda a má associação. Algumas vezes, a pessoa é louvada e outras, difamada; essa é a natureza da sociedade humana. Mas o devoto é sempre transcendental à fama e infâmia, tristeza e felicidade artificiais. Ele é muito paciente. Ele só fala dos tópicos de Krishna; portanto, ele é chamado silencioso. Silencioso não quer dizer que não se deva falar; silencioso quer dizer que não se deve falar desatinos. Deve-se falar apenas o essencial, e para o devoto, a conversa mais essencial é falar em prol do Senhor Supremo. Em todas as condições, o devoto é feliz; algumas vezes, ele pode conseguir alimentos muito saborosos, outras não, mas ele fica satisfeito. Tampouco se importa com acomodações residenciais. Algumas vezes, ele pode morar debaixo de uma árvore, e outras, pode morar num edifício muito suntuoso; ele não sente atração por nenhum dos dois. Ele é chamado fixo, porque é fixo em sua determinação e conhecimento. Nós encontramos repetições nas descrições das qualificações do devoto, mas isto é só para enfatizar o fato de que o devoto deve adquirir todas essas qualificações. Sem boas qualificações, ninguém pode ser um devoto puro, quem não é devoto não tem boa qualificação. Quem quer ser reconhecido como devoto precisa desenvolver as boas qualificações. É claro que ele não executa por sua própria conta atividades adicionais com que obtenha essas qualificações, mas a ocupação em consciência de Krishna e o serviço devocional automaticamente ajuda-o a desenvolvê-las.

Krishna afirma isso dizendo:

Aquele que é igual para com amigos e inimigos; que é equânime na honra e na desonra, calor e frio, felicidade e aflição, fama e infâmia; que está sempre livre de associação contaminadora, sempre silencioso e satisfeito com qualquer coisa, que não se importa com nenhuma residência; que está fixo em conhecimento e se ocupa em serviço devocional — semelhante pessoa Me é muito querida, pois aqueles que seguem este caminho imperecível do serviço devocional e que se ocupam com plena fé, fazendo de Mim a meta Suprema.

18091918_CepS2.png 

5489717_0PI30.gif 

image.jpeg 

5527216_NoRly.png

 

publicado por Lalanesha Dasa às 09:01

Este Album abaixo, esta para download gratuitamente é só clicar no ícone ( Lalanesha in Concert Mantras )