*Sejam*Bem-Vindos* A Morada Suprema do Amor a Deus *

Fevereiro 29 2016

image.jpeg

 Neste mundo material, as pessoas recebem denominações ou classificações, mas, afinal de contas, este mundo não é um lugar onde se possa viver feliz. Aqui, afirma-se claramente que anityam asukhaṁ lokam: este mundo é temporário e cheio de misérias, e não serve para ser habitado por um cavalheiro sensato. A Suprema Personalidade de Deus declara que este mundo é temporário e cheio de misérias. Alguns filósofos, dizem que este mundo é falso, mas através do Bhagavad-Gītä podemos compreender que o mundo não é falso; é temporário. Há uma diferença entre temporário e falso. Este mundo é temporário, mas existe outro mundo, que é eterno. Este mundo é miserável, mas o outro mundo é eterno e bem-aventurado.

Ninguém deve ficar neste mundo temporário, que é cheio de misérias. Todos devem refugiar-se no âmago da Suprema Personalidade de Deus para poderem ser eternamente felizes. O serviço devocional ao Senhor Supremo é o único processo pelo qual se podem resolver todos os problemas de todas as classes de homens. Todos devem, portanto, adotar a consciência de Krishna e tornar sua vida perfeita.

image.png 

image.jpeg

 

image.jpeg

publicado por Lalanesha Dasa às 21:02

Fevereiro 27 2016

image.jpeg

image.jpeg

 Krishna a Suprema Personalidade de Deus diz no Bhagavad-Gītä verso 14 do segundo capittulo que o aparecimento temporário da felicidade e da aflição, e o seu desaparecimento no devido tempo, são como o aparecimento e o desaparecimento das estações de inverno e verão. Eles surgem da percepção sensorial, e precisa-se aprender a tolerá-los sem se perturbar.

Qualquer um que fique firme em sua determinação de chegar à fase da compreensão Espiritual avançada e consiga ter a mesma tolerância nas investidas da aflição e da felicidade, na certa é qualificado para a liberação. É essencial que a pessoa inteligente esteja em consciência de Krishna, ocupada no serviço transcendental amoroso do Senhor, a fim de conseguir uma morada permanente e bem-aventurada, onde desfrute de felicidade eterna. 

E em outra passagem do próprio Bhagavad-Gītä capitulo 4 verso 19, Krishna sugere que é considerado em conhecimento pleno aquele cujos atos estão desprovidos do desejo de satisfação dos sentidos. Os sábios dizem que tal pessoa é um trabalhador cujas reações do trabalho foram queimadas pelo fogo do conhecimento perfeito.

Só alguém em conhecimento pleno pode compreender as atividades de uma pessoa em consciência de Krishna. Devido ao fato de que quem é consciente de Krishna está desprovido de todo tipo de propensões ao gozo dos sentidos, entende-se que, através do conhecimento perfeito de sua posição constitucional como servo eterno da Suprema Personalidade de Deus, ele queimou as reações de seu trabalho. Aquele que alcançou tal perfeição de conhecimento é realmente erudito e permanente feliz. O desenvolvimento deste conhecimento acerca da eterna servidão ao Senhor é comparado ao fogo. Esse fogo, quando aceso, pode queimar todos os tipos de reações ao trabalho.

Nessa constatação Krishna diz:

 Quem tem plena consciência de Mim, conhecendo-Me como o beneficiário último de todos os sacrifícios e austeridades, o Senhor Supremo de todos os planetas e semideuses, e o benfeitor e benquerente de todas as entidades vivas, alivia-se das dores e misérias materiais.

image.jpeg

image.jpeg

publicado por Lalanesha Dasa às 22:57

Fevereiro 25 2016

image.png

image.jpeg

image.jpeg

 " Existe uma analogia ancestral ,ou metáfora ,que é encontrada nas obras sanscritas mais antigas ,a qual diz que,na verdade ,o corpo é um veículo e que somos seus passageiros. Evidentemente,devemos cuidar do nosso carro, trocando o oléo e mantendo-o limpo e não destrui-lo ou negligencia-lo .Da mesma maneira devemos zelar ,apreciar e ser muito gratos pelo nosso corpo,pois ele é um presente inestimável que nos permite existir neste mundo e buscar conhecimento espiritual. No entanto , o corpo é isto;" um presente para nós,,, mas" nós ",, somos outra coisa. "
H.D.Goswami -

A alma condicionada viva pode então compreender que é diferente do corpo. A alma condicionada tem que compreender que ela está dentro de um corpo e que o corpo passa da infância à adolescência, da adolescência à fase adulta, e da fase adulta à velhice, e aquele que possui o corpo sabe que o corpo está mudando. À alma condicionada pensa: “Sou feliz”, “sou um homem”, “sou uma mulher”, “sou um cachorro”, “sou um gato”. Estas são as designações corpóreas da alma condicionada. Mas aquele que tem compreensão de sua real posição como alma Espiritual é conhecedor é sabe que é diferente do corpo. Embora se possa usar muitos artigos — nossas roupas, etc. —, sabemos que somos diferentes daquilo que usamos. Do mesmo modo, com um pouco de introspecção, também compreendemos que somos diferentes do corpo. Eu, você, ou quem quer que seja, que possua um corpo é conhecido por ser o conhecedor do campo de actividades. 

A alma condicionada está aprisionada na existência material, e ela tenta assenhorear-se da natureza material. E assim, conforme sua capacidade de dominar a natureza material, ela obtém um campo de actividade. Este campo de atividade é o corpo. E o que é o corpo? O corpo é feito de sentidos. A alma condicionada quer desfrutar dos sentidos, e, de acordo com seu empenho em obter prazer dos sentidos, ela recebe um corpo, ou um campo de atividades. Por isso, o corpo é chamado, o campo de atividades da alma condicionada. E aquele que não deve identificar-se com o corpo chama-se, o conhecedor do campo. Não é muito difícil compreender a diferença entre o campo e seu conhecedor, o corpo e o conhecedor do corpo. Qualquer um pode perceber que, da infância à velhice, ele passa por muitas mudanças físicas, e no entanto continua sendo a mesma pessoa. Logo, há diferença entre o conhecedor do campo de atividades e o próprio campo de atividades. A alma condicionada viva pode então compreender que é diferente do corpo. 

Ao se discutir o assunto corpo e conhecedor do corpo, alma e Superalma, encontram-se três diferentes tópicos de estudo: o Senhor, a entidade viva e a matéria. Em cada campo de atividades, em cada corpo, há duas almas: a alma individual e a Superalma. Porque a Superalma é uma expansão plenária da Suprema Personalidade de Deus, Krishna, e Krishna mesmo afirma dizendo: “Eu sou também o conhecedor, mas não sou o conhecedor individual do corpo. Eu sou o superconhecedor. Estou presente em cada corpo como a Superalma”. 

O Senhor diz: “Em cada corpo individual, Eu sou o conhecedor do campo de atividades”. O indivíduo pode ser o conhecedor de seu próprio corpo, mas não tem conhecimento sobre os outros corpos. A Suprema Personalidade de Deus, que, como a Superalma, está presente em todos os corpos, sabe tudo sobre todos os corpos. Ele conhece todos os diferentes corpos de todas as diversas espécies de vida. Um cidadão talvez saiba tudo sobre seu pedaço de terra, porém, o rei conhece não só seu palácio, mas todas as propriedades dos cidadãos individuais. De modo semelhante, alguém pode ser o proprietário do corpo individual, mas o Senhor Supremo é proprietário de todos os corpos. O rei é o proprietário original do reino, e o cidadão é o proprietário secundário. Do mesmo modo, o Senhor Supremo é o sumo proprietário de todos os corpos. 

O corpo consiste dos sentidos. O Senhor Supremo é “o controlador dos sentidos”. Ele é o controlador original dos sentidos, assim como o rei é o controlador original de todas as atividades do Estado; os cidadãos são controladores secundários. O Senhor diz: “Eu sou também o conhecedor”. Isto significa que Ele é o superconhecedor; a alma individual conhece apenas seu corpo específico. Na literatura védica, declara-se o seguinte:

Este corpo é o campo de atividades, e dentro dele moram o proprietário do corpo e o Senhor Supremo, que conhece o corpo e o dono do corpo. Por isso, Ele é chamado o conhecedor de todos os campos. A distinção entre o campo de atividades, o conhecedor das atividades e o Supremo conhecedor das atividades é descrita da seguinte maneira. De acordo com o paradigma da literatura védica, o conhecimento perfeito da constituição do corpo, da constituição da alma individual e da constituição da Superalma, é a verdadeira compreensão do conhecimento. Esta é a opinião de Krishna. Compreender a alma e a Superalma como idênticas e, ao mesmo tempo distintas, é conhecimento. Quem não entende o campo de atividade e o conhecedor da atividade não tem conhecimento perfeito. Deve-se compreender a posição da natureza, e do desfrutador da natureza, e o conhecedor que domina ou controla a natureza e a alma individual. Ninguém deve confundir as diferentes potencialidades desses três. Não se deve confundir o pintor, o quadro e o cavalete. Este mundo material, que é o campo de atividades, é a natureza, e o desfrutador da natureza é a entidade viva, e acima de ambos está o controlador Supremo, a Personalidade de Deus. Na linguagem védica está declarado que há três concepções acerca do Espírito: Espírito como o campo de atividades, e a alma individual também é  Espírito e tenta controlar a natureza material, e o controlador de ambas também é Espírito, mas Ele é o verdadeiro controlador ou o Espírito Supremo. Entre estes dois conhecedores, um é falível e o outro, infalível. Um é superior e o outro, subordinado. Quem pensa que os dois conhecedores do campo são a mesma pessoa contradiz a Suprema Personalidade de Deus, que aqui afirma claramente: “Eu também sou o conhecedor do campo de atividade”. Quem confunde uma corda com uma cobra não desenvolveu conhecimento. Há diferentes espécies de corpos, e há diferentes proprietários dos corpos. Existem diferentes corpos, porque cada alma individual tem sua capacidade individual para dominar a natureza material. Mas o Supremo também está presente neles como o controlador Supremo ou o Espirito Supremo. Krishna é a Superalma presente em cada corpo, distinto da alma individual. E Krishna diz explicitamente que verdadeiro conhecimento é saber que a Superalma é o controlador do campo de atividades e do desfrutador finito.

Existem duas pessoas, uma em consciência de Krishna e a outra em consciência material, trabalhando no mesmo nível, talvez pareçam estar na mesma plataforma, mas há um grande abismo de diferença em suas respectivas posições. Em consciência material, o falso ego deixa-nos convictos de que somos os autores de tudo. Não sabemos que o mecanismo do corpo é produzido pela natureza material, que funciona sob a supervisão do Senhor Supremo. A pesso materialista não tem conhecimento de que, em última análise, está sob o controle de Krishna. Quem tem falso ego quer todo o mérito por agir independentemente para si próprio, este é o sintoma de ignorância. Ele não sabe que o corpo grosseiro e o sutil são criações da natureza material, a qual age sob a ordem da Suprema Personalidade de Deus, e assim suas atividades corpóreas e mentais devem estar ocupadas no serviço a Krishna, em consciência de Krishna. 

image.png

image.jpg 

image.jpeg

publicado por Lalanesha Dasa às 15:28

Fevereiro 23 2016

image.jpeg

image.jpeg

image.jpeg

image.jpeg

image.jpeg

publicado por Lalanesha Dasa às 21:37

Fevereiro 20 2016

image.png 

image.jpeg

image.jpeg

 

image.jpeg

image.png

publicado por Lalanesha Dasa às 23:56

Intercâmbios
Este Album abaixo, esta para download gratuitamente é só clicar no ícone ( Lalanesha in Concert Mantras )