*Sejam*Bem-Vindos* A Morada Suprema do Amor a Deus *

Janeiro 25 2013

O Bhagavad-Gita nos instrui dizendo que devemos tentar aprender a verdade aproximando-se de um mestre espiritual. Fazendo-lhe perguntas com submissão e prestar-lhe serviço. As almas auto-realizadas podem transmitir conhecimento porque elas são videntes da verdade.

O caminho da realização espiritual sem dúvida é difícil. O Senhor, portanto, aconselha que nos aproximemos de um mestre espiritual genuíno, que está na linha de sucessão discipular proveniente do próprio Senhor. Não pode ser um mestre espiritual autêntico quem não segue este princípio da sucessão discipular. O Senhor é o mestre espiritual original, e quem está na sucessão discipular pode transmitir intacta a seu discípulo a mensagem do Senhor. Ninguém pode alcançar a realização espiritual fabricando seu próprio processo, como é moda entre os farsantes tolos. Afirma-se nas escrituras Sagradas que caminho da religião é enunciado diretamente pelo Senhor. Portanto, a especulação mental ou os argumentos áridos não ajudarão a conduzir ninguém ao caminho certo. Nem através do estudo independente dos livros de conhecimento pode-se progredir na vida espiritual. É necessário aproximar-se de um mestre espiritual genuíno para receber este conhecimento. Tal mestre espiritual deve ser aceito com rendição completa, e o discípulo deve servir ao mestre espiritual como um servo humilde, sem falso prestígio. A satisfação do mestre espiritual auto-realizado é o segredo do progresso na vida espiritual. Na busca de compreensão espiritual, indagações e submissão constituem a combinação apropriada. Se não houver submissão e serviço, as indagações feitas ao mestre espiritual erudito não surtirão efeito. Deve-se procurar cumprir tais requisitos, e quando o mestre espiritual vê o desejo legítimo do discípulo, ele automaticamente o abençoa com a verdadeira compreensão espiritual. Condenam-se neste verso a obediência cega e as perguntas absurdas. Não só é necessário ouvir com rendição o mestre espiritual, mas também deve-se obter dele um entendimento claro, com submissão, serviço e indagações. Um mestre espiritual autêntico é por natureza muito bondoso para com o discípulo. Portanto, quando o aluno é submisso e está sempre disposto a prestar serviço, a troca de conhecimento e perguntas torna-se perfeita. 

 Quem recebe conhecimento de uma alma auto-realizada, ou de alguém que conhece as coisas como elas são, aprende que todos os seres vivos são partes integrantes da Suprema Personalidade de Deus, o Senhor Sree Krishna. O sentimento de uma existência separada de Krishna chama-se ilusão. Alguns acham que não temos nada a ver com Krishna, que Krishna é somente uma grande personalidade histórica e que o Absoluto é uma forma impessoal de Deus. De fato, como se afirma no Bhagavad-gītā, esta impessoal de Deus é a refulgência da pessoa de Krishna. Krishna, como a Suprema Personalidade de Deus, é a causa de tudo. Nas escrituras autenticas do conhecimento Espiritual afirma-se claramente que Krishna é a Suprema Personalidade de Deus, a causa de todas as causas. Mesmo Suas milhares de encarnações são apenas diferentes expansões. Do mesmo modo, as entidades vivas são também expansões de Krishna. Os filósofos ateístas pensam erroneamente que, ao expandir-Se, Krishna perde sua existência separada nas Suas várias expansões. Este pensamento é material em natureza. No mundo material, temos a experiência de que quando uma coisa é distribuída em fragmentos ela perde a sua própria identidade original. Mas os filósofos ateístas não conseguem compreender que absoluto significa que um mais um é igual a um, e que um menos um também é igual a um. Este é o caso no mundo absoluto.

Por falta de conhecimento suficiente acerca da ciência absoluta, estamos agora cobertos pela ilusão, e assim pensamos que somos separados de Krishna. Embora sejamos partes separadas de Krishna, mesmo assim, não somos diferentes dEle. A diferença corpórea das entidades vivas é ilusãoou um fato não verídico. Todos nós somos destinados a satisfazer Krishna. É somente devido a ilusão que se pensa que a relação corpórea temporária entre nós e nossos parentes é mais importante do que a relação Espiritual eterna com Krishna. Todo o ensinamento do Bhagavad-Gita é dirigido a este fim: que o ser vivo, como servo eterno de Krishna, não pode ser separado de Krishna, e que a percepção de sentir-se uma identidade separada de Krishna chama-se ilusão. As entidades vivas, como partes integrantes separadas do Supremo, têm um propósito a cumprir. Tendo se esquecido deste propósito desde os tempos imemoriais, elas situam-se em diferentes corpos, como homens, animais, e outras formas de vida. Tais diferenças corpóreas surgem do esquecimento do serviço transcendental ao Senhor. Mas quando se presta serviço transcendental através da consciência de Krishna, ocorre de imediato a liberação desta ilusão. Só é possível adquirir este conhecimento puro através do mestre espiritual autêntico e assim seremos capazes de escapar da fantasia de que a entidade viva é igual a Krishna. Tem conhecimento perfeito quem sabe que a Alma Suprema, Krishna, é o abrigo supremo de todas as entidades vivas; ao abandonarem este abrigo, as entidades vivas deixam-se iludir pela energia material, imaginando que têm uma identidade separada. Assim, sob diferentes níveis de identidade material, elas passam a esquecer-se de Krishna. Porém, quando tais entidades vivas iludidas situam-se em consciência de Krishna, deve-se entender que elas estão no caminho da liberaçãoLiberação significa estar situado em sua posição constitucional como servo eterno de Krishna (a consciência de Krishna).

publicado por Lalanesha Dasa às 21:27

Este Album abaixo, esta para download gratuitamente é só clicar no ícone ( Lalanesha in Concert Mantras )