*Sejam*Bem-Vindos* A Morada Suprema do Amor a Deus *

Junho 24 2015

image.jpg

Krishna a Suprema Personalidade de Deus instrui Arjuna dizendo-lhe:

 Meu querido Arjuna, só pelo serviço devocional indiviso é possível compreender-Me como Eu sou, aqui diante de você, podendo ser visto diretamente. Somente dessa maneira você pode ingressar nos mistérios da compreensão acerca de Mim.

Krishna pode ser compreendido somente pelo processo do serviço devocional indiviso. Ele explica isso explicitamente aqui para que todos aqueles, que tentam compreender o Bhagavad-Gita através do processo especulativo, saibam que estão apenas perdendo seu tempo. Ninguém pode compreender Krishna como Ele é ou como Ele veio de Seus pais numa forma de quatro mãos, e em seguida transformou-Se numa forma de duas mãos. Estes fenômenos são muito difíceis de ser compreendidos por meio do estudo dos Vedas ou através da especulação filosófica. Por isso, aqui se afirma claramente que ninguém pode vê-lO ou ter acesso à compreensão destes assuntos. Todavia, aqueles que são estudantes muito experientes na literatura védica podem, através desta literatura, adquirir muitos conhecimentos sobre Ele. Há tantas regras e regulações, e se alguém tem algum interesse em compreender Krishna, deve seguir os princípios reguladores descritos na literatura autorizada. Podem-se executar penitências de acordo com esses princípios. Por exemplo, para se submeter a penitências sérias, pode-se observar jejum em Janmashtami, o dia em que Krishna apareceu, e nos dois dias de Ekadasi (o décimo primeiro dia depois da lua nova e o décimo primeiro dia depois da lua cheia). Quanto à caridade, é evidente que se deve dar caridade aos devotos de Krishna que se ocupam no Seu serviço devocional, para disseminar a filosofia de Krishna, ou a consciência de Krishna, por todo o mundo. A consciência de Krishna é uma bênção para a humanidade. Logo, se alguém contribui com os devotos envolvidos na distribuição da consciência de Krishna, essa caridade, feita para que se difunda a consciência de Krishna, é a maior caridade do mundo. E se alguém adora conforme as regras de um templo, recebe uma oportunidade de progredir, oferecendo adoração e respeito à Suprema Personalidade de Deus. Para os principiantes no serviço devocional ao Senhor, a adoração no templo é essencial, e a literatura védica confirma isto.

Alguém que tem devoção inabalável ao Senhor Supremo e é dirigido pelo Mestre Espiritual, no qual ele tem a mesma fé inabalável, pode ver a Suprema Personalidade de Deus por revelação. Ninguém pode entender Krishna através da especulação mental. Quem não recebe treinamento pessoal sobe a orientação de um mestre espiritual autêntico não pode nem mesmo começar a entender Krishna. 

As formas pessoais de Krishna, a forma de dois braços e a de quatro braços, são descritas como muito difíceis de serem vistas. Elas são inteiramente diferentes da forma universal temporária mostrada a Arjuna. A forma de Narayana, que tem quatro braços, e a forma de Krishna, com dois braços, são eternas e transcendentais, ao passo que a forma universal manifestada a Arjuna é temporária. E declara-se que, antes de Anjuna, ninguém havia visto aquela forma universal. E também sugere que não havia necessidade de mostrá-la aos devotos. Krishna exibiu esta forma a pedido de Arjuna para que no futuro, quando alguém se apresentasse como encarnação de Deus, as pessoas pudessem pedir-lhe para ver sua forma universal.

image.jpg

 Krishna muda da forma universal para a forma de Narayana, que tem quatro braços, e depois para a Sua própria forma natural que possui dois braços. Isto indica que as formas de quatro braços e as outras formas mencionadas na literatura védica são todas emanações de Krishna, que originalmente tem dois braços. Ele é a origem de todas as emanações. Se Krishna é distinto até mesmo dessas formas, que dizer então da concepção impessoal? Quanto às formas em que Krishna apresenta quatro braços, afirma-se claramente que mesmo a forma de quatro braços mais parecida com Krishna (que é Maha-Vishnu, deitado no oceano cósmico e que com Sua respiração exala e inala inumeráveis universos) é também Sua expansão. 

image.jpg

 “O Maha-Vishnu, no qual todos os inúmeros universos entram e do qual eles tornam a sair através do Seu simples processo respiratório, é uma expansão plenária de Krishna. Por isso, deve-se adorar Govinda, Krishna, a causa de todas as causas.” Portanto, deve-se definitivamente adorar a forma pessoal de Krishna como a Suprema Personalidade de Deus que tem bem-aventurança e conhecimento eternos. Ele é a fonte de todas as formas de Vishnu, a fonte de todas as formas de encarnações e a Suprema Personalidade original, como se confirma no Bhagavad-Gita: 

“Ofereço minhas respeitosas reverências a Krishna, que tem uma forma transcendental de bem-aventurança, eternidade e conhecimento. Ofereço- Lhe meus respeitos, porque compreendê-lO significa compreender os Vedas e Ele é, portanto, o Mestre Espiritual Supremo.” 

“A Suprema Personalidade de Deus é Krishna, que tem um corpo de eternidade, conhecimento e bem-aventurança. Ele não tem começo, pois Ele é o começo de tudo. Ele é a causa de todas as causas.”  

A forma universal não é atrativa para os devotos puros, que amam o Senhor em diferentes relacionamentos transcendentais. A Divindade Suprema reciproca amor transcendental em Sua forma original, a forma de Krishna. Por isso, para Arjuna, que tinha uma relação de amizade tão íntima com Krishna, esta forma da manifestação universal não era agradável; ao contrário, era aterradora. Arjuna, que era um companheiro constante de Krishna, com certeza tinha olhos transcendentais; ele não era um homem comum. Por isso, ele não ficou cativado pela forma universal. Esta forma talvez pareça maravilhosa para pessoas que estão interessadas em elevar-se por meio de atividades fruitivas, mas para quem se ocupa em serviço devocional, a forma de Krishna com duas mãos é a mais querida.

image.jpg

5489717_0PI30.gif

 

publicado por Lalanesha Dasa às 21:39

Este Album abaixo, esta para download gratuitamente é só clicar no ícone ( Lalanesha in Concert Mantras )